quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Conta de luz vai subir 8,5% já em março

            Consumidor pagará indenização a transmissoras após interferência do governo no setor elétrico

BELFORD ROXO -  
Mais de quatro anos depois de a presidente Dilma Rousseff intervir no setor elétrico para reduzir a conta de luz em 20% — queda que foi anulada por aumentos que ultrapassaram 50% em 2015 —, um novo esqueleto do setor elétrico ganhou corpo ontem. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) bateu o martelo e definiu em R$ 62,2 bilhões o valor de indenizações a transmissoras de energia. O consumidor vai arcar com esta fatura nas contas de luz até 2025. A estimativa é que esta decisão signifique um efeito médio de alta nas tarifas de 7,17% este ano. 


O valor do reajuste que será efetivamente pago pelo consumidor, porém, depende de outras variáveis que afetam a conta de luz — como subsídios, custo de geração da energia de Itaipu, comportamento do dólar, entre outros — e é definido de acordo com cada distribuidora. No caso do Rio de Janeiro, a previsão é que a tarifa residencial suba 8,55% em março, percentual que já engloba o efeito das indenizações.

IMPACTO NO RIO 


A Light, distribuidora de energia em 31 municípios no Estado do Rio de Janeiro e na Região Metropolitana do Rio, informou que o impacto em suas tarifas do repasse das indenizações para as transmissoras deverá ficar em torno dos 4,53%. De acordo com a distribuidora, se houver alguma mudança nesse percentual será muito pequeno. Por sua vez, a Enel Distribuição Rio (antiga Ampla), que atende a 66 municípios do Estado do Rio, disse que o impacto dessa medida em suas tarifas será calculado na ocasião da definição do reajuste tarifário anual da distribuidora, programado para 15 de março próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário