sábado, 20 de agosto de 2016

Maquinista é agredido por traficantes após trem atropelar e matar avó e neta no ramal de Belford Roxo


BELFORD ROXO - O maquinista de um trem que atropelou e matou duas mulheres, no fim da tarde desta quinta-feira, na altura da Favela do Jacarezinho, Zona Norte do Rio, foi agredido por traficantes de drogas da comunidade após o acidente. Aline Ramiro, de 21 anos, e sua avó Deusa Gonçalves, de 67, haviam acessado a linha férrea por uma passagem clandestina e a composição, que seguia no sentido Baixada Fluminense, não conseguiu frear. Ao parar na estação, alguns metros adiante, o maquinista foi checar o que havia acontecido e foi atacado com chutes, socos e pontapés por um grupo de homens. A investigação do caso está na 25ª DP (Engenho Novo).

Mesmo ferido, o maquinista conseguiu conduzir o trem até Del Castilho - que é a estação seguinte. Lá, ele foi socorrido e levado para um hospital particular no Méier, ainda na Zona Norte.

A situação foi relatada em redes sociais e uma foto postada mostra o homem deixando a estação numa maca, com a cabeça enfaixada.

“Maquinista atropelou duas pessoas na Favela do Jacaré porque as duas atravessavam na linha do trem pela passagem clandestina... Maquinista parou para socorrê-las e foi arrastado pelos traficantes, já entrando na porrada... A princípio eu fiquei com raiva do MAQUINISTA e depois pensei... na linha férrea é local de travessia???????”.

“Só quem estava no trem sabe o sufoco que foi isso! E o cara está em estado grave no hospital. Uma vida não vale mais que a outra... É muito triste!”.

Em nota, a SuperVia informou que o maquinista está "fora de perigo" e também que solicitou uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública para "discutir a questão da segurança pública no ramal Belford Roxo". Segue a íntegra do informe:

"A SuperVia está prestando auxílio médico hospitalar e psicológico ao maquinista do trem que atingiu duas mulheres ontem (18/08), que caminhavam nos trilhos próximo à estação Jacarezinho (ramal Belford Roxo), e foi intimidado por moradores. O funcionário se encontra plenamente assistido e fora de perigo.

A concessionária, por meio da Secretaria de Estado de Transportes, solicitou uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro a fim de discutir a questão da segurança pública no ramal Belford Roxo. A SuperVia repudia situações como essa, que colocam em risco a integridade de passageiros e funcionários da empresa". ​

Circulação suspensa

Por causa do atropelamento, as partidas da Central do Brasil para Belford Roxo foram temporariamente interrompidas nesta quinta. Os trens circularam somente no trecho entre as estações Mercadão de Madureira e Belford Roxo.

A SuperVia informou que existem até 180 passagens clandestinas ao longo da via, e que faz campanhas para a conscientização dos passageiros. Leia a nota na íntegra:

“A SuperVia lamenta que mais um acidente tenha ocorrido em razão da travessia indevida de pedestres na linha, área restrita à circulação dos trens. É extremamente importante que a população respeite as normas de segurança”, diz o texto.

Via Extra
Por Marcos Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário