sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Reservatório da Cedae no Parque São Vicente nunca funcionou. Moradores sofrem com a seca

BELFORD ROXO - Faz nove anos que a empregada doméstica Luciane Tavares dos Santos, de 43 anos, foi morar no Parque São Vicente, em Belford Roxo. Desde então, nunca viu uma gota sequer de água cair das torneiras, mesmo com um enorme reservatório da Cedae na porta de casa. O equipamento, segundo os moradores, não tem utilidade.

— Desde que vim morar aqui, vivo de pegar água no poço artesiano. Não só eu, como todos os moradores — reclama: — Essa estrutura de 20 anos virou um elefante branco, nunca teve água para abastecer a região.

Para o pedreiro Carlos Firmino, de 46 anos, além da falta de água, uma das maiores preocupações é no que a grande estrutura abandonada se transformou.

— O teto do reservatório desabou. Aí, quando chove, acumula muita água e vira um foco de mosquitos da dengue. Um perigo para toda a população — diz.

De acordo com Luciane, há pouco tempo o reservatório passou a servir de abrigo para usuários de drogas.

— Toda noite fica cheio de meninos aqui fumando maconha e usando drogas mais pesadas. Essa região é perigosa e todo mundo fica apreensivo — conta: — Tenho uma filha de 8 anos e não deixo sair de casa depois de uma certa hora. Eles podem acabar fazendo uma maldade com ela.

Há cerca de quatro anos, a Cedae anunciou na região o projeto “Água para Todos’’, mas ele nunca saiu do papel.

— Há seis meses enviei um ofício para a companhia pedindo a volta do projeto, que beneficiaria muita gente — afirma o vereador Joacyr Reis (sem partido): — E pedi que eles retirem essa estrutura que não serve para nada. Assim poderia ser construída uma área de lazer no local.


Uma praça ou creche

Como não vai voltar a funcionar para abastecer as 1.190 casas do Parque São Vicente, os moradores já têm uma ideia do que a Cedae poderia fazer com o reservatório: eles pedem que o local seja transformado numa área de lazer.

— Não temos nada aqui e todos iriam ficar muito felizes. Uma creche também seria bem-vinda — assinala a Maria da Silva, de 83 anos.

A Cedae informou que o reservatório, com capacidade para 500 mil litros, foi construído no início da década de 90, mas não chegou a funcionar. A estrutura começará a ser demolida nos próximos dias. Outro reservatório no Lote Quinze será reformado para atender o bairro a partir do fim de 2016.

Via Extra Mais Baixada

Por Lígia Modena

Nenhum comentário:

Postar um comentário