terça-feira, 17 de novembro de 2015

Rapaz confessa ter dirigido carro na execução de dono de academia. Namorada é transferida para Bangu

BELFORD ROXO - Policiais da Divisão de Homicídios da Baixada prenderam ontem, em Nova Iguaçu, Luigi Sirino dos Santos, de 20 anos. Ele confessou ter participado da morte do empresário Felipe Lavina, de 27, em Mesquita. Na quinta-feira, a polícia já havia detido Elen Cury, de 23, namorada da vítima e suspeita de planejar o assassinato.


Luigi estava escondido na casa de uma parente, em Miguel Couto, desde o dia do crime. O delegado Fabio Salvadoretti disse que ele era o motorista do Uno que os assassinos usaram para chegar à casa do empresário. O veículo foi abandonado lá e todos, inclusive Felipe e a namorada dele, entraram no Punto do irmão da vítima.

— Ele disse, em depoimento, que um conhecido chamou para fazer alguma coisa, mas não disse o que era. Apenas falou “fica calmo, vai dar tudo certo. Os cachorros estão presos e a porta está aberta’’ — conta o delegado.

Segundo Salvadoretti, não há dúvidas de que Elen Cury foi a mandante:

— A princípio, ela deixou a porta aberta e sabemos que mais quatro pessoas, todos da Chatuba, em Mesquita, participaram do crime: o menor, já apreendido, o Luigi e mais dois que podem ter sido executados pelo tráfico.

Luigi vai responder por roubo seguido de morte e pode pegar até 30 anos de prisão. A namorada, transferida ontem para Bangu, vai responder pelo mesmo crime. Os outros dois envolvidos não foram identificados.

— Só o andamento das investigações vai dizer se mais gente participou desse crime. Posso dizer apenas que, possivelmente, quem atirou no Felipe é um desses desaparecidos, que também pode ser parente da Elen — observa o delegado.

Felipe era dono de duas academias de ginástica (em Belford Roxo e Mesquita) e foi morto em 25 de outubro. Ele foi retirado de casa, em Mesquita, e foi levado até Nova Iguaçu, onde foi executado com um tiro na cabeça.

Suspeita afirma que foi agredida

A namorada, Elen Cury, contou em depoimento que estava na casa com ele e foi vendada e agredida. Também afirmou que os bandidos chegaram à casa chamando o empresário pelo nome. Mesmo assim, a Justiça decretou a prisão preventiva dela. O bando levou cerca de R$ 10 mil em dinheiro, além de roupas e objetos da residência. O menor, já apreendido, deu cobertura na porta.







Via Extra - Mais Baixada
Por Ligia Modena

Fotos Cleber Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário