quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Sem funcionários comissionados, escolas municipais e atendimento em postos são afetados em Belford Roxo

BELFORD ROXO - Com a crise econômica, o prefeito de Belford Roxo, Dennis Dauttmam, exonerou os servidores comissionados. Foram poupados apenas funcionários considerados essenciais, como secretários, subsecretários, adjuntos, o procurador-geral e conselheiros tutelares. A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial.

A medida cancela todos os contratos temporários de pessoal, como o de limpeza das escolas e o de merenda. Entre as exceções estão os programas Bolsa Família e DST-Aids. Também ficam suspensas por seis meses novas contratações de serviços que não sejam absolutamente necessários e nomeações.

O corte já começou a ser sentido ontem pelos moradores. No Ciep Constantino Reis, em São Bernardo, cerca de 500 alunos que estudam no turno da tarde, desde o ensino infantil até o 5º ano, ficaram sem aula.

— A maioria dos comissionados trabalha à tarde. Como não veio ninguém, os alunos foram dispensados — explica uma funcionária da escola, que preferiu não se identificar.

No Pilar Novo, a situação não foi diferente. Na Escola municipal José Mariano dos Passos, que atende turmas até o 5º ano, os estudantes só conseguiram ter aula porque alguns funcionários exonerados compareceram.

— Eu só vim para não deixar todo mundo na mão, mas não venho mais. Fui exonerada e, além de tudo, não recebo há dois meses. Vou trabalhar por quê? — revolta-se outra funcionária, que também não quis dar o nome.

A professora Camila Faria, de 27 anos, tem dois filhos que estudam na unidade e não sabe o que vai fazer se as aulas forem paralisadas.

— Nunca vi isso acontecer antes — lamenta.

As funcionárias do Ciep Constantino Reis disseram ainda que a Unidade Mista de Saúde do Lote Quinze ficou fechada o dia todo.

Decreto inclui corte de luz e água

A publicação também determina que todos os setores da prefeitura reduzam em 25% os gastos com água, energia, telefonia, combustível e outros materiais de consumo. Os funcionários também terão que reduzir o uso de equipamentos de ar-condicionado e impressoras.

Para fiscalizar o cumprimento das medidas, foi criado o Gabinete de Gestão de Crise. Os integrantes devem fazer propostas para reestruturar a prefeitura.

— Já estamos planejando um novo decreto para readmitir pessoas que trabalham em serviços que não podem ser interrompidos — afirma o procurador-geral, Alexandre Bissoli, sem informar quantos funcionários foram exonerados.

Via Extra Baixada
Por Ligia Modena

Marina Navarro

Nenhum comentário:

Postar um comentário