quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Dennis Dauttmam diz em entrevista sobre Hospital do Joca, Hospital Infantil, Obras e Exonerações

BELFORD ROXO - Há três meses o prefeito de Belford Roxo, Dennis Dauttmam, anunciou um pacotão de obras. Mas, segundo ele, a crise que atinge o país bateu à porta da cidade, que enfrenta problemas em várias áreas, principalmente a Saúde. O Hospital Infantil está fechado há duas semanas e pacientes reclamam da falta de médicos no Joca. Mesmo admitindo um desfalque mensal de cerca de R$ 7 milhões que vinham do governo federal, o prefeito afirma que as obras estão mantidas. A solução encontrada para controlar a crise foi exonerar 2.500 servidores comissionados, na semana passada. Foram poupados os funcionários considerados essenciais.


Como manter as secretarias funcionando normalmente?

Nós estamos vivendo uma crise enorme. O governo federal cortou quase todos os recursos que a cidade recebia. Tentei segurar o máximo que pude, mas não deu. Apesar disso, as principais áreas, como Educação e Saúde, não sofreram com as demissões. Destes 2 mil exonerados, cerca de 80% estão voltando.

Por que o senhor exonerou e agora está recontratando?

É simples. Exonerei para os funcionários verem que não estou de brincadeira, que a crise é muito séria. Com essas demissões, eliminei quem estava sobrando e, agora, ficará realmente quem preza pelo seu trabalho. Todo mundo está vendo a crise, milhares de pessoas desempregadas no Brasil. Tenho certeza de que os funcionários não querem ficar sem salário no fim de cada mês.

Qual é o tamanho do rombo financeiro em Belford Roxo?

A cidade está deixando de receber, por mês, R$ 7 milhões do governo federal. A UPA de Bom Pastor, por exemplo, está há oito meses com os repasses atrasados, mas estou mantendo as portas abertas. Mas vai chegar uma hora em que não vai dar mais.

O Hospital do Joca foi vendido?

Nunca, pelo contrário, o Hospital do Joca foi aparelhado com equipamentos de última geração! Me dediquei plenamente na reforma do hospital. Hoje ele está mais bonito e melhor que muitos hospitais particulares. Estamos tentando melhorar ao máximo o atendimento. O hospital tem agora três pediatras, dois ortopedistas, quatro clínicos gerais, um cirurgião e dois médicos de rotina.

Há um áudio de uma suposta entrevista sendo compartilhada na rede social e no whatsapp dizendo que o senhor contratou a OS que cuida do hospital do Joca por R$ 70 milhões e que a mesma seria do Morro dos Macacos, É verdade?

É mais uma mentira da oposição que vive me atacando, criando fakes para se passar como moradores. 70 milhões é na verdade o pacotão de obras que lançamos em julho para reformas de praças no centro, no Wona, construção de uma nova rodoviária no Lote XV, obras em diversos bairros e também a do centro, obras no campo do Japonês, entre outras.

E o pacotão de obras no valor de aproximadamente R$ 70 milhões. Com a cidade em crise, como fica essa promessa?

As obras estão sendo feitas, nenhuma foi interrompida. Elas haviam sido aprovadas pelo governos federal e estão dentro do prazo.

Por falar na área de Saúde, o Hospital Infantil de Belford Roxo, no bairro Areia Branca, fechou as portas há duas semanas. Por quê?

Houve mesmo um atraso no pagamento dos salários dos funcionários devido aos repasses do governo federal, que não chegaram à prefeitura. Mas o mês de setembro foi pago esta semana e o de outubro estará em dia até a próxima sexta-feira.

Em meio a este caos financeiro, como conseguir novas receitas para fazer a cidade funcionar corretamente?

Criamos recentemente o Programa Especial de Recuperação Fiscal (Refis). A iniciativa garante à população de Belford Roxo a anistia de multas e juros sobre tributos municipais com pagamento em atraso. Além de o cidadão colocar suas contas em dia, a iniciativa é uma forma eficiente de auxiliar o desenvolvimento da cidade. (O governo federal foi questionado sobre os repasses que, segundo Dauttmam, estão atrasados. Mas o Ministério da Fazenda não respondeu as perguntas).


Via Notícias da Baixada / Extra Mais Baixada

Nenhum comentário:

Postar um comentário