quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Assassino de Adriano Cor confessa crime na DHBF

BELFORD ROXO - Vieira, procurado como autor do assassinato do produtor cultural Adriano da Silva Pereira, de 33 anos, ocorrido no dia 5 de julho, no bairro de Cabuçu, em Nova Iguaçu. O criminoso, conhecido como André Chupeta, confessou o crime na delegacia especializada, após ser capturado na cidade de Viçosa, em Alagoas, com o apoio do Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil do estado do Nordeste. Ele chegou ao Rio de Janeiro sob custódia da Polícia Civil no início da noite de sexta-feira.


Segundo a Polícia Civil, os agentes da DHBF chegaram até André Chupeta através de uma denúncia anônima feita por um morador de Viçosa. “A denúncia indicava o local onde o suspeito estava escondido. Embarcamos ontem (quinta-feira) e fizemos a prisão. A captura do André oferece uma resposta para a sociedade”, esclareceu o delegado titular da DHBF, Fabio Cardoso. O suspeito estava foragido desde agosto, quando teve a prisão temporária decretada pela 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu.

As investigações da Divisão de Homicídios confirmaram que o motivo do crime seria homofobia. O produtor cultural estava indo para Nova Iguaçu se encontrar com amigos em uma casa noturna no centro de Nova Iguaçu. Através de imagens de câmeras de segurança obtidas pela DHBF, foi possível ver quando André e dois amigos passam de carro e em seguida abordam Adriano. “Eles estavam em um forró (na Rua Coronel Francisco Soares), o Adriano estava passando quando se conheceram e começaram a conversar. Dali eles marcaram de sair e seguiriam para uma festa em Cabuçu”, contou o delegado na época que a especializada identificou André como autor do crime. Ainda segundo o delegado, as testemunhas que estavam no carro contaram em depoimento que quando chegaram ao bairro, André desembarcou com Adriano e apesar das declarações homofóbicas que fazia normalmente, eles estariam flertando.

O crime

Adriano foi encontrado morto com várias lesões no rosto, tórax e pescoço em um pequeno córrego próximo da Estrada Passa Vinte, em Cabuçu. O corpo da vítima apresentava perfurações parecidas com facadas e marcas de espancamento por diversas partes. De acordo com o delegado Fabio Cardoso, André usou o flerte para atrair a Adriano até o bairro de Cabuçu. Segundo as testemunhas, o acusado aproveitou um momento de distração do produtor e iniciou a agressão. “André deu uma joelhada no queixo da vítima e partiu para cima dele com socos. Antes de desmaiar, Adriano chegou a questionar o que tinha feito ao autor do crime”, informou Fabio Cardoso. Ainda segundo ele, as testemunhas contaram que durante a ação, o agressor repetia que odiava homossexuais. A Polícia Civil concluiu que o crime foi premeditado. André flertou com Adriano no centro de Nova Iguaçu e o atraiu para Cabuçu.


Via Jornal Hoje
Por Gabriele Souza


Nenhum comentário:

Postar um comentário