terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Novo Xerife da Divisão de Homicídios da Baixada quer discutir violência com prefeitos da região



BELFORD ROXO - A Polícia Civil do Rio de Janeiro anunciou na última quarta-feira, a troca de comando de algumas delegacias distritais e especializadas. Dentre elas está a DHBF (Divisão de homicídios da Baixada Fluminense), localizada no município de Belford Roxo e que atende a outros 12 municípios vizinhos, que possuem juntos, cerca de 4 milhões de pessoas. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense terá como titular o delegado Wellington Pereira Vieira que era da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo. Quem deixa o posto na Baixada é o delegado Pedro Henrique Brandão Medina, que ficou à frente da especializada por três anos e conduziu o caso do serial killer da Baixada, Saílson José das Graças, que confessou ser o autor da morte de 43 pessoas.

Medina vai para a Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA). De acordo com o Chefe de Polícia Civil do Rio, as trocas de titularidades fazem parte de rotinas administrativas e ocorrem com frequência. 

UNIÃO QUE FARÁ A DIFERENÇA 


A proposta da nova gestão é que haja um “Pacto pela vida”. Assim que possível o Dr. Wellington Vieira fará uma reunião com todos os prefeitos da Baixada, onde também estarão presentes outros delegados das distritais, comandantes dos quatro batalhões que atuam na região - 15º BPM (Duque de Caxias), 20º BPM (Mesquita), 21º BPM (São João de Meriti) e 24º BPM (Queimados), além de outros órgãos como OAB, Guardas Municipais e segundo o delegado, quem mais tiver o mesmo propósito que é acabar com as mortes. O Delegado Wellington declarou que acredita que atinja a meta do primeiro semestre, que é baixar em 20% o número de homicídios na região. 

PREFEITO JÁ ESTÁ DENTRO DESTA PARCERIA


 O Prefeito de Belford Roxo, Dennis Dauttmam esteve presente na solenidade e se prontificou a ajudar o novo delegado, “onde for preciso” para chegar ao objetivo que é evitar mortes. Uma das ações ditas que podem ajudar é o cadastramento social - que possibilitará saber quais são as áreas mais carentes, a iluminação pública. 

Despedindo-se do cargo, Pedro Medina mostrou-se feliz com os resultados obtidos. Foram 210 prisões em nove meses, 540 medidas cautelares, redução de 34% nos homicídios de fevereiro a outubro. À frente agora da Delegacia de Roubo e Furtos de Automóveis, Medina acredita que esse será um novo desafio para sua carreira. 

 DELEGADO E EQUIPE CHEGAM COM NOVO GÁS 


O Novo delegado da DHBF disse que chega ao comando da especializada da Baixada preparado e muito motivado. “Já de imediato, eu pretendo trazer o corpo de peritos para a DHBF. Eles precisam interagir com a equipe de homicídio. Dessa forma, o serviço vai ser muito mais ágil, e possibilitará o atendimento mais rápido às famílias das vítimas, minimizando o sofrimento”, declarou o delegado. Atualmente os peritos que atendem a região são lotados da PRPTC (Posto Regional de Polícia Técnica e Científica), que fica no Centro de Nova Iguaçu. Por diversas vezes, por ser uma área muito extensa, os locais de homicídios são distantes e o atendimento acaba sendo feito de forma mais lenta. Finalizando o discurso, o novo delegado aproveitou a presença da imprensa e mandou um recado para a bandidagem, “os matadores que se mudem porque eu e minha equipe chegamos”. Atualmente a equipe de homicídios da Baixada é composta por 150 agentes, ele disse também que pretende pedir um aumento neste efetivo. Assim como já fazia a frente da Homicídios de Niterói e São Gonçalo, para setorizar o efetivo responsável pelas investigações, Welington vai dividir as 13 cidades em quatro grandes áreas. Área 1: Duque de Caxias, Magé e Guapimirim; Área 2: Nova Iguaçu, Queimados, Mesquita; Área 3: Nilópolis, São João de Meriti e Belford Roxo - onde atualmente estão concentrados os maiores índices de criminalidade; e Área 4: Japeri, Paracambi, Itaguaí e Seropédica.


Via Jornal Hora H


Nenhum comentário:

Postar um comentário