quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sem permissão, cooperativa exige taxa para estacionar em ruas de Belford Roxo, e caso acaba na Delegacia de Polícia



Prefeito Dennis Dauttmam interrompe cobrança irregular de estacionamento público

BELFORD ROXO - Quem tentou parar o carro na manhã de ontem na Rua Benjamin Pinto Dias, no Centro de Belford Roxo, levou um susto ao ser cobrado para estacionar o veículo.

— Sempre paro o carro aqui e nunca vi isso — reclamou o engenheiro José Raimundo, de 53 anos.

O problema aconteceu depois que guardadores de veículos começaram a cobrar indevidamente pelo estacionamento de carros e motos em algumas das principais vias da cidade. Com talões, eles pediam R$ 2 para permitir o estacionamento. Por conta da confusão, o prefeito Dennis Dauttmam foi ao local para informar que a medida era irregular.

— É um absurdo! Não vou permitir que o cidadão seja prejudicado. Vou estar fiscalizando isso o tempo todo. Não vou deixar a população pagar por nada que não deva. Vamos intensificar nossa fiscalização para que surpresas negativas como essa não aconteçam mais. Todos podem e devem contar com a prefeitura, - disse ele. 

Segundo Dauttmam, o serviço, que começou a ser operado ontem pela cooperativa Anasercoop, não é autorizado pela administração municipal e não pode ser realizado sem que haja um contrato com a prefeitura.

O prefeito mobilizou a Secretaria de Segurança Pública e a Coordenadoria de Trânsito da cidade para resolver o problema. Todos os guardadores foram obrigados a interromper a atividade. 

O procurador-geral do município, Alexandre Bissoli, explicou que a taxa de estacionamento pode até ser cobrada na cidade, mas somente após uma licitação. 
“Este tipo de atividade só pode ser realizada com autorização da prefeitura e após haver licitação. Não cobramos estacionamento em nenhum espaço público. Isso é irregular”, frisou.

— Não cobramos estacionamento em nenhum espaço público. Isso é irregular — destacou o coordenador de trânsito da Prefeitura de Belford Roxo, Tadeu de Paula.
Todos os guardadores, assim como os talonários de cobrança e valor arrecadado, foram encaminhados para a 54ª DP (Belford Roxo). Segundo a prefeitura, o número do CNPJ informado nos talões recolhidos ontem é inexistente.

De acordo com o delegado Luiz Henrique Guimarães, todos os envolvidos vão responder por exercício ilegal da profissão.
Um dos responsáveis pela Anasercoop, José Messias Rodrigues do Nascimento, informou que os guardadores são registrados.
— Trabalhamos dentro de lei. Ajudo a gerar empregos. Quero somar com a prefeitura e espero ter uma chance de falar com o prefeito.



Via Extra / PMBR / Notícias de Belford Roxo




Nenhum comentário:

Postar um comentário