quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Dentista passa 7 meses preso injustamente por série de estupros em Belford Roxo



BELFORD ROXO - O dentista André Luiz Medeiros Cardoso passou sete meses preso injustamente no Rio de Janeiro após ser acusado de ter estuprado uma série de mulheres em Belford Roxo. Em maio passado, ele foi absolvido pela Justiça, que entendeu que as acusações contra o réu eram inconsistentes. Cardoso agora planeja uma ação contra o Estado por danos morais e materiais.


— Já é pesado passar por qualquer crime que não cometeu. De estuprador então, você não tem noção. Eu evito ficar guardando rancor dentro de mim porque eu não conseguiria seguir em frente. É uma coisa revoltante, mas tem que olhar para frente. Eu não posso ficar remoendo isso.

A Corregedoria da Polícia Civil vai instaurar um inquérito para apurar a conduta dos agentes que realizaram as investigações. Segundo a Deam (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher) de Belford Roxo, Cardoso foi reconhecido por nove mulheres como o autor dos estupros na Baixada Fluminense.

No entanto, materiais biológicos recolhidos no corpo das vítimas foram levados para exame de DNA e foi comprovado que Cardoso não era o autor dos crimes. Segundo a Justiça, quando foi preso, o rapaz foi colocado ao lado de três policiais com distintivos para ser reconhecido pelas vítimas, procedimento considerado errado.

O pai, Nilson Cardoso, falou sobre a agonia que sofreu durante o período de prisão do filho.

— Não há nada que vá apagar da minha memória, dos meus sentimentos, da minha emoção. Às vezes até choro. O dia mais feliz da minha vida foi o dia 16 de maio, uma sexta-feira em que ele foi colocado em liberdade.

O advogado da família, José Carlos Tórtima, falou sobre as consequências da prisão injusta na vida de Cardoso.

— Essas marcas ficarão para sempre no coração e no psiquismo dele. Essas traumas são inapagáveis

O verdadeiro suspeito pelos ataques às mulheres ainda não foi achado pela polícia.

Assista ao vídeo abaixo:


Via R7



Nenhum comentário:

Postar um comentário