domingo, 4 de agosto de 2013

Baleado pela Polícia, criminoso que aterrorizou a Baixada Fluminense tinha no peito tatuagem de amor

BAIXADA FLUMINENSE - Antônio Marcos Borges da Silva era um criminoso disposto a tudo. Às suas vítimas, dizia que já tinha oito homicídios nas costas e nada a perder. A certeza de impunidade o fazia agir com o rosto descoberto, nos mesmos locais, e seguidas vezes. Embora sua foto estivesse estampada na imprensa e por delegacias da Baixada Fluminense, do Rio e do interior, estava com a mesma fisionomia quando foi morto numa troca de tiros com PMs, no Centro de Nova Iguaçu, às 19h de quarta-feira. Sem disfarce, estava fora de circulação um marginal acusado pela polícia por homicídio, estupro, sequestro, extorsão e assalto.

Às vítimas, também dizia que não seria preso de novo, o que gerou um alerta na polícia.

- Avisei a todas as delegacias para tomarem cuidado durante as diligências. Sabíamos que ele iria reagir - disse a delegada Tércia Amoedo, diretora do Departamento Geral de Polícia da Baixada, região em que Antônio Marcos praticou a maioria de seus crimes.

E foi o que aconteceu. Ao ser reconhecido na Rua Dr. Luiz Guimarães, dois PMs foram avisados de sua presença. Quando percebeu que seria abordado, Antônio Marcos sacou um revólver da mochila e correu disparando. Os policiais revidaram, e ele foi atingido no peito e no ombro. Ninguém mais se feriu.

Patrícia Marques de Oliveira, esposa do bandido, ao ser apresentada na delegacia Foto: Bernado Costa
A escalada de crimes recentes começou quando Antônio Marcos saiu da cadeia em 14 dezembro de 2012. Estava condenado a mais de 27 anos por roubo e extorsão mediante sequestro. Com seis anos de pena cumprida, progrediu para o regime semiaberto. Ao receber o benefício para Visitação Periódica ao Lar (VPL), deixou o Instituto Penal Benjamim de Moraes Filho, em Gericinó, Bangu, disposto a não mais retornar.

Desde então, é reconhecido por vítimas e testemunhas como autor de pelo menos 11 crimes, que geraram inquéritos em nove delegacias: 55 DP (Queimados), 52 DP (Nova Iguaçu), 66 DP (Piabetá), 38 DP (Irajá), 21 DP (Vicente de Carvalho), 22 DP (Penha) e 105 DP (Petrópolis). Tinha quatro mandados de prisão pendentes e 17 anotações criminais.

O que facilitou sua identificação foi o modo peculiar de agir, sempre o mesmo: só atacava mulheres, assumia a direção de seus veículos e as conduzia até agências bancárias e lojas, obrigando-as a fazer saques e compras no cartão de crédito. Em várias ocasiões, forçou as vítimas a adquirirem artigos banais, como cortador de grama, esmeril, lantera traseira de Vectra, televisão para carro, materiais elétricos e remédios.
Tatuagem feita pelo criminoso em homenagem à esposa: "Patrícia Amor Eterno" Foto: Reprodução

Em todas os casos, Antônio Marcos ameaçava matar as vítimas se houvesse reação, deixando claro que já esteve preso, apesar de demonstrar calma e segurança durante as ações:

- O tempo todo ele ficava no carro, tranquilo, enquanto as vítimas iam às agências bancárias e lojas, sozinhas. Elas voltavam e entregavam as mercadorias e dinheiro a ele. Sinal do terror que ele provocava - disse o delegado Antônio Silvino, da 66 DP, referindo-se aos dois casos que investigou.

Antônio Marcos Borges da Silva tinha 41 anos e três filhos. Apesar da brutalidade, revelou amor quando foi morto. No peito, a tatuagem: "Patrícia, amor eterno".
































A esposa retribuiu o carinho Foto: Reprodução


Casos abertos

A morte de Antônio Marcos Borges da Silva foi para a polícia ao mesmo tempo um alívio e algo a se lamentar. Sua prisão poderia esclarecer casos ainda pendentes, como as circuntâncias do estupro e assassinato da publicitária Patrícia Gomes Ávilla, de 25 anos, e o desaparecimento da manicure Liliane dos Santos Alves, de 28

Há 19 dias, a família não tem sinal de Liliane. Sua mãe, a pensionista Mariana Rosa dos Santos, de 54 anos, veio de Rio de Ostras, onde mora, para acompanhar as investigações. É lá também que o filho da manicure, de sete anos, está passando as férias, ainda sem saber o que aconteceu com a mãe.

- De fato ficou mais difícil descobrir o paradeiro da Liliane; as denúncias serão fundamentais neste momento - disse o delegado Marcus Henrique, titular da 58 DP (Posse), responsável pelo caso.

Na última semana, dona Mariana e seu genro, Daniel Lucas da Silva, de 30 anos, foram a delegacias da Baixada diariamente em busca de informações. Na terça-feira, estiveram na 66 DP quando a mulher de Antônio Marcos foi presa num cerco da 27 DP à residência do casal, em Piabetá. O criminoso conseguiu fugir pelos fundos após a mulher, autuada por receptação, dar-lhe cobertura.

A mãe e o marido de Liliane vasculharam pertences apreendidos na casa, mas não reconheceram nada que fosse da manicure.Na quinta-feira, estiveram na 58 DP, um dia após a morte de Antônio Marcos. Apesar de nenhum sinal de vida até agora, dona Mariana mantém as esperanças:

- Minha força vem de Deus.

LINHA DO TEMPO

14/12/2012

Cumprindo pena em regime semiaberto no Instituto Penal Benjamim de Moraes Filho, em Gericinó, Bangu, Antonio Marcos Borges da Silva recebeu o benefício de visitar a família e não mais retornou à cadeia.

07/04/2013

Aborda duas mulheres na Rua Cuba, na Penha, por volta de 14h. Coloca as vítimas dentro do carro de uma delas, assume a direção do veículo e segue para a Baixada. Antes, libera uma ainda no Rio. No caminho, liga para a família da refém e pede R$ 5 mil pelo resgate. Nas proximidades de Magé, estupra a mulher, de 20 anos, num matagal. Em seguida, a libera.

21/05/2013

Aborda uma vítima no Centro de Caxias e a conduz até Santa Cruz da Serra, onde a obriga a fazer um saque de R$ 1 mil e compras no valor de R$ 460 numa loja de autopeças, onde foram compradas lanternas traseiras e uma televisão para carro: "Fora peças para um Vectra dele mesmo", disse o delegado Antonio SIlvino, da 66 DP. Em Piabetá, o bandido terminou a ação a liberou a vítima.

25/05/2013

Rende mãe e filha prestes a embarcar no carro, em Irajá. Assume o volante e conduz as vítimas até Santa Cruz da Serra, Caxias. Lá, elas foram obrigadas a sacar R$ 1.860 e comprar R$ 788 em produtos numa loja de materiais de construção. Depois, seguiu até a favela do Acari, onde ficou, depois de devolver a direção do carro às vítimas. "Só que ele esqueceu o próprio celular no carro. Foi aí que o identificamos", contou um agente da 38 DP.

29/05/, 05/06 e 06/06/2013

Ele rende três mulheres em Petrópolis, uma a cada dia. Todas estavam sozinhas no momento dos crimes, em que o acusado utilizou os mesmos métodos. Numa das ocasiões, conduziu o carro da vítima até uma fármácia, onde a obrigou a comprar remédios. "Identificamos ele pelo método peculiar de agir e a partir de troca de informações com outras delegacias", disse o delegado Alexandre Ziehe, da 105 DP (Petrópolis).

21/06/2013

A publicitária Patrícia Gomes Ávilla, de 25 anos, é sequestrada em Irajá. Seu corpo apareceu no dia seguinte na Rua Monte Alegre, em Queimados, com um tiro na nuca. Dezoito dias depois, policiais da 55 DP apontaram Antonio Marcos Borges da Silva como o homem que a abordou em Irajá e a conduziu em seu carro até Queimados. Ele foi identificado a partir de impressões digitais encontradas no carro da vítima, que estava em Angra dos Reis.

05/07/2013

Sequestra duas irmãs em Irajá e as leva até Santa Cruz da Serra, Caxias. Uma no banco do carona e outra, no de trás. Obriga uma das vítimas a realizar saques e compras enquanto mantém a outra como refém, encapuzada em cárcere privado, enquanto a outra tenta sacar R$ 6 mil de uma agência bancária. As duas foram liberadas.

06/07/2013

Rende a vítima no Centro de Nova Iguaçu e a leva, dirigindo seu veículo, até uma loja de materiais de construção em Belford Roxo, onde ela foi obrigada a comprar R$ 1.963 em materiais de construção.

19/07/2013

Rouba um carro em Comendador Soares e sequestra a manicure Liliane dos Santos Alves quando ela saia de um supermercado na Rua Espírito Santo, Centro de Nova Iguaçu. A amiga que estava com ela foi liberada. Tanto ela quanto o homem que teve o carro roubado reconheceram Antônio Marcos como autor do crime. A manicure está desaparecida até hoje

25/07/2103

Uma mulher estaciona o carro em Irajá quando Antônio Marcos bate no vidro. Após rendê-la, ele assume a direção do carro, em que estavam os dois filhos pequenos dela, e segue até Saracuruna, onde obriga a vítima a comprar remédios numa farmácia e a libera em seguida.

29/07/2013

Policiais da 27 DP saem para capturá-lo na casa em que morava com a mulher, na Rua Ana Maksmoa, Piabetá. Ele consegue fugir, armado, pelos fundos da casa, após ela alertá-lo da chegada da polícia. Patrícia Marques Correa de Oliveira, de 37 anos, foi presa e autuada por receptação. Na 66 DP, a vítima dia 25/07 reconheceu uma aliança, óculos e um celular.

31/07/2013

Na Rua Dr. Luiz Guimarães, no Centro de Nova Iguaçu, Antônio Marcos é reconhecido por uma pessoa, que aciona dois PMs. Ao perveber que vai ser abordado, ele saca um revólver, corre e atira contra os policiais, que revidam, o atingido fatalmente no peito e no ombro. O bandido já chegou morto ao Hospital da Posse.

Via Jornal Extra



Nenhum comentário:

Postar um comentário